Campanhas

BEM-ME-GOSTA OU MAL-ME-GOSTA?

O que é?
A campanha de prevenção de Violência no Namoro – Bem-me-gosta ou mal-me-gosta? resulta de uma parceria entre o projeto ART’THEMIS+, o projeto VIVA e o núcleo da UMAR Braga. Esta colaboração decorre da necessidade de se criar materiais pedagógicos que sensibilizem adolescentes e jovens para uma mudança de atitudes e comportamentos que legitimam a violência no namoro. O objetivo passa por promover uma ‘ética amorosa’ nas relações de namoro, assente em princípios como igualdade, liberdade, confiança, respeito, comunicação, privacidade e consentimento (conceito subjetivo que define aquilo que queres fazer ou não; deve ser informado, entusiástico, consciente, livre, verbalizado e pode mudar a qualquer momento). Neste sentido, importa referir que entendemos como relação de namoro todas as relações afetivas, atuais ou passadas, ocasionais ou não, mais ou menos formais, independentemente das orientações sexuais.

Em Portugal, desde 2013, a Violência no Namoro está prevista no crime de Violência Doméstica (art.o 152 do Código Penal) e consiste nos maus-tratos físicos, psíquicos e/ou sexuais, de modo reiterado ou não, infligidos sobre a outra pessoa. Enquanto crime público, qualquer pessoa pode denunciar, devendo sempre atender à segurança da vítima!

O design dos cartazes foi desenvolvido pela ativista feminista Marta Calejo, do núcleo da UMAR Braga.

De onde surge?
Esta campanha nasce, no final de 2019, numa reunião dos elementos do Núcleo da UMAR Braga, na qual se pensavam nas ações a realizar no âmbito do dia 14 de fevereiro de 2020. Depois de algumas propostas e reflexão, o uso do jogo de palavras do Bem-me-quer, mal-me-quer e a necessidade de interpelar as/os adolescentes e jovens seriam as ideias centrais para o desenvolvimento desta campanha.

Como esperávamos, encontrámos esta ideia em músicas, campanhas, títulos de exposições, conferências, publicações várias, entre outras. O vídeo “Mal-me-quer, Bem-me-quer” da associação Graal, por exemplo, chamou a nossa atenção e, pelo trabalho desenvolvido na prevenção da violência no namoro, merece a nossa referência.

De facto, este jogo pertence ao imaginário coletivo infanto-juvenil, fazendo parte do nosso património cultural e popular. Decidimos aproveitá-lo para mais facilmente captar aatenção e podermos explorar as crenças de cada pessoa. Assim, “apropriamo-nos” do Bem-me-quer, mal-me-quer, construindo um novo jogo de palavras: bem-me-gosta ou mal-me-gosta?

De que forma?
Como o nome da campanha sugere, propomos uma reflexão individual a partir da apresentação de situações concretas de violência. A pergunta ‘Bem-me-gosta ou Mal-me-gosta?’ possibilita a indagação e o reconhecimento de comportamentos violentos que poderão ocorrer nas relações de namoro, tais como o controlo, a violência psicológica, a violência através das redes sociais, a violência sexual, a perseguição e a violência fisica. Consideramos
fundamental trazer ainda para a reflexão os ciúmes, já que estes surgem, muitas vezes, como sinónimo de amor, mas também como justificação e desculpabilização de comportamentos e atitudes violentos.

A campanha propõe ainda alguns comportamentos e princípios não violentos a adotar nas relações de namoro saudáveis.

Por fim, a partir da apresentação de números concretos relativos aos várioscomportamentos de violência no namoro, decidimos complementar a campanha com algunsdados do Estudo Nacional de Violência no Namoro 2020 da UMAR. Este estudo que,anualmente, é realizado pelo projeto ART’THEMIS+, analisa, por um lado, diferentescomportamentos de violência que as/os jovens autorreportam já terem sofrido nas relações de
namoro e, por outro, a legitimação desses mesmos comportamentos (independentemente de estar ou já ter estado numa relação).

Com o intuito de utilizar uma linguagem mais próxima deste público-alvo e de tornar as situações mais reais, pedimos a contribuição de alguns grupos-turma do ART’THEMIS+ em Braga, em particular, do 2º M do Ensino Profissional da Escola Secundária de Vila Verde.

Sobre o vídeo:
A equipa do Projeto ART’THEMIS+ Madeira propôs-se a realizar um vídeo com base no conteúdo da campanha. O vídeo foi editado pela também ativista feminista e técnica do ART’THEMIS+, Joana Martins, em conjunto com a equipa do ART’THEMIS+ Madeira, e as animações foram feitas por Diogo Freire. Os áudios ficaram a cargo da turma 9º 5 da Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco, que participa no projeto pelo 3º ano letivo consecutivo.

A quem se dirige?
Ainda que se dirija, principalmente, a adolescentes e jovens, pretendemos sensibilizar todas as pessoas, uma vez que, não só não estamos isentas/os de viver relações abusivas, como podemos ser bystanders (espectadoras/es) de situações como estas, contribuindo para a manutenção de uma cultura que legitima os comportamentos violentos. Por isso, este material é para todas/os nós, para que possamos ser agentes da mudança e participemos numa nova cultura de amor, sobretudo quando pensamos em relações de namoro.

Importa referir que os dados do Estudo Nacional de Violência no Namoro de 2020 da UMAR se reportam a uma amostra com idades compreendidas entre os 11 e os 21 anos, do 7º ao 12º ano de escolaridade, do ensino regular ou profissional.

Às jovens e aos jovens:

  • a (tua) segurança e o (teu) bem-estar são fundamentais!
  • se sofres ou já sofreste alguma forma de violência, a culpa não é tua!
  • se estás numa situação de violência ou conheces alguma/um amiga/o que é vítima, fala com uma pessoa adulta da tua confiança!
  • se queres terminar a relação, mas não te sentes segura/o para o fazer, procura apoio!

 

Instituições e contactos de apoio:

Serviço de Informação às Vítimas de Violência Doméstica | CIG
800 202 148 (gratuito/24h) ou envia SMS para 3060

S.O.S Criança | Instituto de Apoio à Criança
116 111 (gratuito)
http://www.iacrianca.pt

Sexualidade em Linha | Instituto Português do Desporto e Juventude
800 222 003 (gratuito)
https://ipdj.gov.pt/sexualidade-em-linha

P’RA TI | UMAR
Centro de atendimento e acompanhamento a mulheres vítimas de violência
910 504 600
umarporto@sapo.pt

EIR | Emancipação, Igualdade e Recuperação
Centro de atendimento a mulheres vítimas de violência sexual da UMAR
914 736 078
eir.centro@gmail.com

Quebrar o silêncio | Apoio a homens e rapazes vítimas de abuso sexual
910 846 589
apoio@quebrarosilencio.pt

Centro GIS | Plano I
Centro de Respostas às Populações LGBTI
966 090 117
gis@associacaoplanoi.org